Delegacia de Repressão a Roubos já está funcionando

Delegacia de Repressão ao Roubo

Foi inaugurada na tarde de hoje (30) a Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) de Florianópolis. A iniciativa faz parte do planejamento da SSP, através da Delegacia Geral da Polícia Civil, de criar unidades especializadas para dar uma resposta imediata a esta pratica criminosa. A portaria de instalação foi assinada pelo secretário da Segurança Pública, promotor de Justiça César Augusto Grubba, e o Delegado Geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila.

“Esses roubos têm tirado a tranquilidade de muitas famílias. Trata-se de um crime inaceitável, e precisamos dar uma resposta rápida para estancar esse tipo de ocorrência”, disse Grubba. A Delegacia Especializada será um órgão iminentemente investigativo e não terá celas para guarda de presos. De acordo com o que prevê a portaria, as delegacias da Capital que tomarem conhecimento de algum registro de crime de roubo deverão comunicar a DRR imediatamente. A DRR funcionará na Avenida Mauro Ramos, 1264, no Centro. O efetivo será formado por 14 policiais – 10 agentes, dois escrivães e os delegados Luiz Felipe Rosado e Marcos Vinicius Fraile.

Segundo o secretário, a região da Grande Florianópolis – e em especial a Capital – concentra o maior número de crimes de roubo no Estado. “Por isso a necessidade de criar esta especializada. A proposta da instalar a DRR tem como objetivo desafogar o trabalho das delegacias distritais e melhorar os índices de resolução dos roubos na Capital. O secretário também declarou que, num primeiro momento, essa delegacia vai trabalhar nos casos ocorridos em Florianópolis, e com o tempo, o serviço será ampliado para as cidades de São José, Palhoça e Biguaçu.

As atribuições da DRR serão os crimes de roubo a residência, transeunte e ao comércio. Entretanto, em operações que o secretário ou o Delegado Geral considere de interesse público, a equipe poderá atuar contribuindo para o esclarecimento dos casos.

O delegado de polícia Luiz Felipe Rosado explica que os flagrantes da DRR serão feitos na especializada, mas como não há local para manter o preso enquanto estiver sendo feito o procedimento, o criminoso será encaminhado para a Central de Plantão Policial.

Além da repressão aos delitos de roubo, nós pretendemos realizar um trabalho de prevenção, ou seja, identificar as quadrilhas e organizações criminosas que atuam na Capital e prendê-los, antes que cometam o crime, disse o delegado Marcos Felipe Fraile, que também atuará na DRR. De acordo com o Delegado Geral, a DRR faz parte de um projeto da Polícia Civil para melhorar a investigação desse crime de elevada gravidade.

Toda caminhada começa com um primeiro passo. Não vamos começar a caminhada com um pulo distante, nós vamos começar com um primeiro passo, que é a criação da DRR na Capital, disse D’Ávila. O Delegado Geral também pretende, numa segunda fase, estender os serviços da especializada para outros municípios da Grande Florianópolis.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: