Delegacia de Repressão a Roubos já está funcionando

01/12/2011

Delegacia de Repressão ao Roubo

Foi inaugurada na tarde de hoje (30) a Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) de Florianópolis. A iniciativa faz parte do planejamento da SSP, através da Delegacia Geral da Polícia Civil, de criar unidades especializadas para dar uma resposta imediata a esta pratica criminosa. A portaria de instalação foi assinada pelo secretário da Segurança Pública, promotor de Justiça César Augusto Grubba, e o Delegado Geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila.

“Esses roubos têm tirado a tranquilidade de muitas famílias. Trata-se de um crime inaceitável, e precisamos dar uma resposta rápida para estancar esse tipo de ocorrência”, disse Grubba. A Delegacia Especializada será um órgão iminentemente investigativo e não terá celas para guarda de presos. De acordo com o que prevê a portaria, as delegacias da Capital que tomarem conhecimento de algum registro de crime de roubo deverão comunicar a DRR imediatamente. A DRR funcionará na Avenida Mauro Ramos, 1264, no Centro. O efetivo será formado por 14 policiais – 10 agentes, dois escrivães e os delegados Luiz Felipe Rosado e Marcos Vinicius Fraile.

Segundo o secretário, a região da Grande Florianópolis – e em especial a Capital – concentra o maior número de crimes de roubo no Estado. “Por isso a necessidade de criar esta especializada. A proposta da instalar a DRR tem como objetivo desafogar o trabalho das delegacias distritais e melhorar os índices de resolução dos roubos na Capital. O secretário também declarou que, num primeiro momento, essa delegacia vai trabalhar nos casos ocorridos em Florianópolis, e com o tempo, o serviço será ampliado para as cidades de São José, Palhoça e Biguaçu.

As atribuições da DRR serão os crimes de roubo a residência, transeunte e ao comércio. Entretanto, em operações que o secretário ou o Delegado Geral considere de interesse público, a equipe poderá atuar contribuindo para o esclarecimento dos casos.

O delegado de polícia Luiz Felipe Rosado explica que os flagrantes da DRR serão feitos na especializada, mas como não há local para manter o preso enquanto estiver sendo feito o procedimento, o criminoso será encaminhado para a Central de Plantão Policial.

Além da repressão aos delitos de roubo, nós pretendemos realizar um trabalho de prevenção, ou seja, identificar as quadrilhas e organizações criminosas que atuam na Capital e prendê-los, antes que cometam o crime, disse o delegado Marcos Felipe Fraile, que também atuará na DRR. De acordo com o Delegado Geral, a DRR faz parte de um projeto da Polícia Civil para melhorar a investigação desse crime de elevada gravidade.

Toda caminhada começa com um primeiro passo. Não vamos começar a caminhada com um pulo distante, nós vamos começar com um primeiro passo, que é a criação da DRR na Capital, disse D’Ávila. O Delegado Geral também pretende, numa segunda fase, estender os serviços da especializada para outros municípios da Grande Florianópolis.

Anúncios

Governo do Estado e Polícia Civil entram em acordo

01/12/2011

Polícia Civil de Santa Catarina

Após negociações, nesta quarta-feira (30), Governo do Estado e Polícia Civil chegaram a um consenso. O grupo de negociação técnica do Executivo propôs, dentro de um prazo de 24 meses, o reajuste progressivo da indenização de representação de chefia e a incorporação de gratificação e abonos. O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) e o Sindicato dos Trabalhadores em Segurança Pública do Estado (Sintrasc) assinaram o documento que selou o acordo. A categoria dos delegados de Polícia Civil ficou fora do pacote porque a Associação dos Delegados de Polícia (Adepol), no último minuto, não aceitou os termos. O acordo também contempla os policiais militares, o Instituto Geral de Perícias e os servidores do sistema socioeducativo e prisional da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania.

Os termos da negociação:

1 – Reajuste da indenização de Representação de Chefia de 2% para 5%, conforme cronograma:

  • Agosto/2012 – de 2% para 3%
  • Agosto/2013 – de 3% para 4%
  • Agosto/2014 – de 4% para 5%

2 – Incorporação de Gratificação e Abonos, a ser integralizada conforme cronograma:

Agentes de Autoridade Policial

  • I – R$ 100,00 em março de 2012;
  • II – R$ 100,00 em setembro de 2012;
  • III – R$ 100,00 em dezembro de 2012;
  • IV – R$ 110,00 em março de 2013;
  • V – R$ 110,00 em setembro de 2013;
  • VI – R$ 120,00 em dezembro de 2013; e
  • VII – R$ 300,00 em março de 2014.

3 – Fica firmado o compromisso de junto com a Procuradoria Geral do Estado verificar a continuidade da concessão do adicional de permanência estabelecido, no artigo 79 da Lei Complementar nº 453, de 5 de agosto de 2009, assim como estudo técnico e jurídico de eventual incorporação à aposentadoria.

4 – Fica firmada entre os representantes do Governo do Estado e os representantes sindicais a formatação de protocolo de estudos técnicos sobre a possibilidade de atendimento das demandas a serem apresentadas.

Praças Militares Estaduais

  • I – R$ 100,00 em março de 2012;
  • II – R$ 100,00 em setembro de 2012;
  • III – R$ 100,00 em dezembro de 2012;
  • IV – R$ 110,00 em março de 2013;
  • V – R$ 110,00 em setembro de 2013;
  • VI – R$ 120,00 em dezembro de 2013; e
  • VII – R$ 300,00 em março de 2014.

Oficiais Militares Estaduais

  • I – R$ 100,00 em março de 2012;
  • II – R$ 100,00 em setembro de 2012;
  • III – R$ 100,00 em dezembro de 2012;
  • IV – R$ 500,00 em março de 2013;
  • V – R$ 500,00 em setembro de 2013;
  • VI – R$ 500,00 em dezembro de 2013; e
  • VII – R$ 600,00 em março de 2014.

Deap realiza Operação Preventiva Integrada de Segurança em Itajaí

01/12/2011

Agente do Deap

A Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, por meio do Departamento de Administração Prisional (Deap), realiza nesta quinta-feira, 01/12, uma Operação Integrada de Segurança Prisional no Presídio Regional de Itajaí.

A ação faz parte da estratégia de ações preventivas desencadeadas pelo Deap em todo sistema prisional e é coordenada pelo Deap e pela Gerência de Vigilância (Gevig), com o apoio da Polícia Militar.

“O objetivo da operação é fazer uma vistoria geral, como medida preventiva, para avaliar as condições gerais de segurança da unidade, afirma o diretor do Deap, Leandro Antônio Soares Lima. Atuam na operação mais de 130 agentes penitenciários de 10 unidades prisionais de todo o Estado.

A partir das 11h, no próprio presídio de Itajaí, o diretor do Deap estará à disposição da imprensa para detalhar o objetivo da operação.