SC 202 X 0 Gaspar/Ilhota

Novos agentes em treinamento. Nenhum deles virá para Gaspar e Ilhota

Municípios não terão nenhum dos novos policiais civis do Estado.

A Polícia Civil de Santa Catarina terá 202 novos agentes ainda neste mês. São 106 agentes de Polícia Civil, 28 escrivães e 68 delegados que serão distribuídos por todas as regiões do Estado. No entanto, o Médio Vale do Itajaí receberá apenas seis policiais. Gaspar, que sofre com o aumento da violência dia a dia, não ganhará nenhum reforço.

A cidade da região mais beneficiada é Brusque, com três agentes e um delegado. Blumenau e Ascurra receberão um delegado cada, número que também irritou as autoridades blumenauenses. Ilhota, que também compõe a SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) de Blumenau, apesar de ser filiado a Amfri (Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí-Açu) também não recebeu novos policiais.

A Delegacia de Polícia de Gaspar possui hoje, 17 agentes para cuidar de uma cidade com 60 mil habitantes. Procurado pela reportagem do Jornal Metas, o delegado da Comarca, Paulo Koerich, disse não poder se pronunciar sobre o assunto e recomendou que as explicações fossem dadas pelo delegado Regional de Blumenau, Rodrigo Marchetti, que não foi localizado para comentar o assunto.

Por meio de uma nota divulgada à imprensa, o Comando da Polícia Civil em Florianópolis afirmou que a distribuição é “embasada em critérios de número de habitantes por policial que há em cada região, atendendo às situações emergenciais constatadas”.

O presidente da ACIG (Associação Empresarial de Gaspar), Rogério Alves de Andrade, não ficou surpreso com a notícia. Ele lembra que o concurso para novos policiais foi feito há três anos e que a distribuição dos agentes ocorreu no ano passado. “Faltou força política, faltou organização para fazer a pressão em Florianópolis. Agora, estamos correndo atrás, mas já perdemos o passo. O erro já foi cometido e não iremos conseguir mudar isso. Vamos nos concentrar no próximo concurso”, declarou.

Para o presidente do Conseg (Conselho de Segurança) do Bela Vista, Celso de Oliveira, a notícia é preocupante, já que a cidade sofre principalmente com assaltos em estabelecimentos comerciais e comércio de drogas por sua localização geográfica. Ele entende que a comunidade precisa se organizar melhor para fazer a pressão sobre o governo estadual. Oliveira informou que será feita uma reunião para tratar do assunto segurança pública. “A Câmara de Vereadores está tratando do assunto e vai se reunir com a sociedade civil no dia 28 de abril, na sede da ACIG, às 19h. Vamos discutir a situação e planejar ações para reverter esse quadro”, afirma Oliveira, que também é suplente de vereador e atualmente exerce mandato no legislativo municipal.

Fonte: Jornal Metas.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: